Integrantes da banda New Hit estupram duas adolescentes. Do que o machismo é capaz?

Mais uma vez nos deparamos com um caso de estupro, em que as mulheres são culpabilizadas pela violência e, por isso, acabam sendo agredidas duplamente. A Marcha das Vadias do DF repudia veementemente a maneira com que estão sendo tratadas as duas meninas que sofreram abuso sexual por todos os integrantes da Banda New Hit, que devem responder judicialmente pelos bárbaros atos! É vergonhosa a organização de uma manifestação para apoiar os músicos criminosos, enquanto as vítimas e seus familiares permanecem encarcerados em casa por medo de retaliações e consumação das ameaças que recebem por telefone. A violência sobre essas meninas ainda não terminou: suas vidas e imagens estão sendo expostas, suas nomeações foram substituídas por xingamentos. Qual é a lógica que continua determinando o modo de pensar, que inverte papéis e condena vítimas? O machismo violentou essas meninas inúmeras vezes: o machismo fez com que estes homens acreditassem que detinham a propriedade dos corpos dessas meninas; o machismo fez com que acreditassem que a vontade delas não existia frente à vontade desses homens; o machismo fez com que duvidassem da denúncia dessas meninas mesmo que estivessem cobertas de sêmen; o machismo fez com que duvidassem delas mesmo com o laudo médico atestando a presença de hematomas e lesões nos órgãos genitais dessas meninas; o machismo fez com divulgassem fotos dessas meninas com xingamentos e dizeres que induzem a pensar que elas desejaram a violência sofrida; o machismo fez com que as pessoas organizassem uma manifestação em defesa de homens que acreditam que os mundo foi feito somente para eles. Pois estamos aqui e não vamos mais nos silenciar diante de tanta violência! Esse mundo também é nosso, somos donas dos nossos corpos e desejos. Não vamos mais deixar que somente o machismo se manifeste por aqui.
O papel de mídias, redes sociais é comunicar, sem dúvidas. No entanto o que ocorre é uma reprodução, em larga escala, de padrões de hierarquização que reificam e essencializam mulheres, por reafirmarem que estas são passivas, vagabundas, “putas” e que, por tudo isso, são também estupráveis. Se o papel das mídias é também construir narrativas culturais, pessoas e instituições que estão despedaçando a imagem dessas meninas vítimas de estupro – por banalizarem este crime – apenas reafirmam que comportamentos machistas e agressivos são aceitos socialmente. O padrão de masculinidade veiculado por mídias e pessoas machistas impede homens de serem mais que apenas brutamontes, agressores, estupradores, assassinos, “machos de verdade” e, assim, cria uma cultura de estupro em nossa sociedade. Mas, novamente, há vozes dissonantes que lutam por e com mulheres, homens, pessoas livres de opressão, de violência, de sexo SEM CONSENTIMENTO. Estupro não é um problema apenas da pessoa que comete o crime, mas sim da nossa sociedade, que não pode ser conivente com uma violação de corpos e integridades físicas e morais. Por isso, a Marcha das Vadias acredita que liberdade de expressão não deve significar liberdade de opressão.

 

#NewHitNaCadeia

About these ads
Etiquetado , , , ,

8 thoughts on “Integrantes da banda New Hit estupram duas adolescentes. Do que o machismo é capaz?

  1. Bruno disse:

    “O padrão de masculinidade veiculado por mídias e pessoas machistas impede homens de serem mais que apenas brutamontes, agressores, estupradores, assassinos, “machos de verdade” e, assim, cria uma cultura de estupro em nossa sociedade.” Impede? Dificulta, sim, mas não impede. A cultura machista tem boa parte da culpa, mas existem inúmeros casos de homens criados em ambientes machistas que não se tornam agressores de mulheres. Assim como não se pode transferir a culpa para a vítima, também não se pode transferir toda a culpa para a “sociedade”. No final, esses vermes fizeram o que fizeram por escolha, não porque foram coagidos. Deveriam ser punidos severamente. Muito mais severamente do que permite a lei brasileira.

    Se esses caras acham que não há nada de errado no que fizeram, é porque escolheram nunca questionar suas atitudes misóginas. Se eles sabiam que estavam fazendo uma atrocidade, eles também escolheram desconsiderar o sofrimento alheio. Determinação biológico-cultural vai só até certo ponto, depois há o livre-arbítrio. Além do mais, vários “machos de verdade”, daqueles que gostam de arranjar briga com outros homens, embora sejam admitidamente machistas, veem estupro como coisa de covarde. Afinal, em todo filme de ação embebido em testosterona, as piores mortes são reservadas para estupradores e para aqueles que batem em mulher.

    Em suma, a influência da cultura machista não é nem tão determinística, nem tão unilateral. Fazer uma generalização sobre “impedir homens” não faz justiça àqueles homens, “machões” ou não, que têm consciência e fazem a escolha de não serem misóginos. Não é só a sociedade que está errada, esses estupradores, individualmente, também fizeram sua escolha. Escolha essa que muitos homens, mesmo machistas ou criados na cultura machista, não fariam.

    • yasmin disse:

      eles não estupraram ninguém,simplesmente essas vadias queriam fazer sexo com eles,elas consentiram isso,eles sao INOCENTES,e elas nao estam sofrendo porra nenhuma,e sim eles………..

      • marcia disse:

        deveria ter pego vc, é muito facil quando é com as outras pessoas, garanto que vc esta morrendo de inveja por nao ter sido com vc.

      • maria disse:

        Nossa Yasmin, vc é uma ignorante. Vc é quem deveria ter sido estuprada por um gorila ridículo daqueles.

  2. thais disse:

    O problema é que o crime de estupro ainda é socialmente aceito e, ao invés de a sociedade acolher, apoiar e proteger a vítima, estigmatiza a pessoa violentada, desacreditando, ridicularizando, humilhando e excluindo. Como podemos acolher efetivamente essas garotas e demonstrar que estamos do seu lado?

    • Dedé disse:

      Vergonha: Integrantes são soltos, vão responder em liberdade. Segundo a Justiça eles são réus primários, tem endereço fixo, trabalham e não oferecem “perigo” à sociedade. E como fica a justiça perante as vítimas? E a mídia baiana (excetuando-se com louvor a TV Bahia) as demais, não só fizeram uma estrondosa cobertura antes e durante a soltura, como também tem entrevistados advogados, família e acusados (celebridades) como se anjinhos fossem. Estão inclusive ávidos para saberem de shows e aparições nos tétricos programas sensacionalistas! Vergonha!

  3. francamente que retro e idiota da descargas nesses idiotas

  4. mm disse:

    queria falar com vocês

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 126 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: