“Fiz dois abortos e não me culpo”, afirma a jornalista Marina Caruso

“Fiz dois abortos e não me culpo”, afirma a jornalista Marina Caruso

Redatora-chefe de Marie Claire, grávida de quase sete meses, conta porque decidiu interromper duas gestações anteriormente

MARINA CARUSO, REDATORA-CHEFE DE MARIE CLAIRE, CONTA PORQUE INTERROMPEU DUAS GESTAÇÕES ANTERIORMENTE (Foto: Márcio Scavone)MARINA CARUSO, REDATORA-CHEFE DE MARIE CLAIRE, CONTA PORQUE INTERROMPEU DUAS GESTAÇÕES ANTERIORMENTE (FOTO: MÁRCIO SCAVONE)

“Na semana em que este artigo é publicado, completo seis meses e meio de gestação. Quando o bebê nascer, estarei com 34 anos e 8 meses. Temo horas insones, amamentação e dilemas da educação infantil, mas sei que estou emocional e profissionalmente pronta para ser mãe. O mesmo não aconteceu em 1999 e em 2002, quando, aos 19 e 22 anos, decidi interromper duas gestações.

Nas duas ocasiões, achei que o coito interrompido resolveria minha resistência à pílula e a de meu então namorado à camisinha. Não deu certo e acabamos numa clínica de abortos clandestina em uma maternidade na Zona Sul de São Paulo. Em uma semana, fazia-se a avaliação do caso. Na seguinte, marcava-se o procedimento. Lembro-me com nitidez da sala de cirurgia onde fiz o que o médico disse ser “uma curetagem supernormal em países onde o aborto é legalizado”. Por R$ 1.200 (o equivalente a R$ 3.000 hoje), o problema foi resolvido em apenas três horas. Ao despertar da sedação senti um pouco de cólica e nada mais.

Não quero fazer apologia do aborto. No Brasil, isso é crime, com pena de um a três anos de prisão. Mas seria leviana em dizer que me sinto mal por tê-lo feitoA compreensão dos meus pais e a minha convicção de que aquele não era o momento para engravidar me eximem de culpa. Tive (e tenho!) uma mãe maravilhosa: coerente na ação e no discurso nos momentos mais difíceis da minha criação. E sempre soube que o mínimo que eu teria de fazer era tentar me igualar a ela. Aos 19 e aos 22 anos, quando só pensava em mim mesma, nos gatinhos e em baladas, isso seria impossível. Aos 34, não será fácil. Mas além de uma mãe dedicada, meu filho terá um pai incrível. Orgulhoso não só dele, mas da mulher que escolheu.

 

Fonte: http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2013/05/fiz-dois-abortos-e-nao-me-culpo-afirma-jornalista-marina-caruso.html

5 pensamentos sobre ““Fiz dois abortos e não me culpo”, afirma a jornalista Marina Caruso

  1. A sua justificativa para realizar os abortos não te exime da culpa.
    Você é criminosa, pena que no mundo esse crime é impune a vítima é seu filho e um ser mais indefeso que possa existir.
    Que você venha a repensar em seus atos e se arrependa, e se achegue a Deus para obter perdão.

    • ershirley disse:

      quem não tiver pecado atire a premeira pedra, não julgues para não seres julgada.. não faça de sí mesma um escudo de sí defender porq vc acaba sendo o alvo de ataque…

  2. Kleide disse:

    É tão injusto… Sofri com 2 abortos pois meu bb nao se desenvolveu… e ela simplesmente diz q nao se arrepende de ter matado os 2 bbs… Não merecia ser mãe NUNCA!!!

  3. tayame leite disse:

    Não acho, acho que temos SIM ter a escolha de ter filhos, ates mesmo por que somos nos que criamos eles po resto da vida, mesmo tendo pai. filho é da mãe!!!! Tudo tem seu tempo, hoje eu tenho uma filha de 2 anos, mas se eu tivesse ela com 16 anos, nao seria a mesma coisa, tanto financeiramente como psicologicamente. Ter filho atoa??? pra abandonar ou deixar na rua pra virar mais um ladão,viciado.???

  4. R disse:

    Acho que todas as pessoas tem direito sobre a própria vida e o próprio corpo, jamais ninguém poderá decidir por nos mulheres o momento certo , de ter um filho ou não, cada uma sabe a hora exata, cada uma sabe quem será o pai melhor para seu filho, e cada uma melhor do que ninguém sabe o exato momento de dizer para si mesma que está preparada para ser mãe, hoje eu tenho 19 anos, quando tive 17 descobri uma gravidez que não foi desejada nem por mim, muito menos pelo meu ex namorado, graças a Deus apesar da situação, obtive o apoio de minha família pela decisão que tomei, fosse qual fosse sabia que eles estariam ao meu lado, optei por não ter a criança, pois não adiantaria ter um filho que nunca foi desejado, não iria ama-lo de forma alguma, sei que vida não são coisas descartáveis que você escolhe se deseja ter ou deseja jogar, mais acho que cada ser é responsável por suas escolhas, se sua escolha é mesmo não ter o filho, opte por tira-lo, não estou induzido ninguém e jamais faria isso, mais cada ser é dono de si, se não esta preparada não tenha, se está preparada para amar, educar e proteger , tenha, enfim é um eterno dilema, no qual ainda é muito discutido entre todos, que Deus de força e proteja todas as mulheres sejam as que tem coragem de fazer o que eu fiz, ou seja as quem tem coragem de ter seu filho.
    Que a luz do espirito santo, guie a todos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: