Hoje o grito não é de carnaval!

Ontem quatro mulheres foram brutalmente agredidas no Balaio Café pelo simples fato de serem lésbicas. Uma agressão que, certamente, foi mais sentida pelas vítimas, mas que é contra tod@s nós lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e trangêneros. Um ato violento, indiscutivelmente machista, racista e lesbo-trans-homofóbico.

Antes de ontem foram duas mulheres! Hoje são mais quatro que vieram a público! Não podemos tolerar violências diárias contra nossos corpos, nossa orientação sexual, nossa condição de gênero e nossa raça/etnia. O machismo, o racismo e a lesbofobia precisam ser denunciados, os agressores punidos, e as pessoas vitimizadas protegidas.

Exigimos  uma resposta imediata do Governo, dos orgãos de segurança pública e de Direitos Humanos a respeito dessas violências. A insuficiência das políticas do governo não consegue responder de forma eficaz ao enfrentamento da homofobia, e à violência institucional cometida contra tod@s nós lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais  e transgênero.

O descaso do Governo do Distrito Federal, que sequer se pronuncia sobre muitos dos casos de violência discriminatória no DF, se configura como um desrespeito às pautas de Direitos Humanos e à luta dos movimentos sociais. No ano passado, o Governador revogou, horas depois de sua publicação, a regulamentação da lei que punia administrativamente a homofobia.

O Distrito Federal é uma das unidades da federação em que mais se registra agressões físicas à população LGBT. Além disso, o GDF possui uma Coordenadoria da “Diversidade Sexual” instituída à Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Cidadania (SEJUS/DF), que pouco faz pela comunidade LGBT. Estes organismos precisam apresentar com urgência uma proposta de ação e medidas cabíveis para enfrentar esta violência.

Só esse ano no Brasil foram mais de 60 casos noticiados de assassinatos a pessoas LGBTs. O Brasil segue sendo o país onde mais se mata LGBTs. Apesar da dor, precisamos secar nossas lágrimas e responder de forma contundente ao ocorrido, nesse momento, em que a sociedade brasileira vê crescer discursos autorizativos da intolerância,  violência,   homofobia e racismo que têm sustentado atos hediondos de violência.

Fundamental transformarmos nossa indignação em ação e continuar nossa luta!!

Nesse carnaval sairemos em bloco na luta contra as lesbo-homo-transfobias, o racismo e o machismo!

_

Assinam esta nota:

Associação Lésbica Feminista de Brasília – Coturno de Vênus

ANEL

Balaio Café

Bloco das Poderosas

CACoS – UniCeuB

CADir – UnB

CFEMEA

Cia Revolucionária Triângulo Rosa

Coletiva Baderna

Coletivo Babilônia LGBT

Coturno de Vênus

Famílias Fora do Armário

Fiu Fiu – UnB

Fórum de Mulheres do DF

Fórum de Promotoras Legais Populares do DF

Juntas/Juntos

MML – DF

Movimento Honestinas

Marcha da Maconha DF

Marcha das Vadias DF

PaguFunk

RUA – Juventude Anticapitalista

Sapabonde

Tambores de Safo

 nossa missão vai ser cumprida!

Anúncios

Um pensamento sobre “Hoje o grito não é de carnaval!

  1. […] Movimentos Sociais do Distrito Federal também divulgaram nota, questionando as ações do governo local para combater esse tipo de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: